segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Bravo, Rui Tavares!

"Este não é um texto de opinião nem de indignação.É só um texto e de um tipo a pensar em coisas, sem destino marcado nem objectivo escolhido" (sic). Assim termina Rui Tavares a sua crónica - A era do interesse negativo - no PÚBLICO de 16/12. Um "tipo a pensar em coisas"! Mas que maneira tão singela e, quase direi, poética, de expressar uma frase de tal importância!
No meio do "enxame digital" que nada junta de novo ao pensamento crítico ou somente estético, que bom é ler um homem que, pensando sempre com conteúdo, começa por nos explicar o significado o significado de "interesse" nas várias línguas, por aí vai até ao "interesse negativo" e, após uma exegese legítima, termina não com uma asserção  mas com a belíssima e nada objectiva confissão de que... está a pensar! A pensar bem, dirão todos aqueles que não despejam palavras vãs e ocas.

Fernando Cardoso Rodrigues
(Carta enviada ao PÚBLICO para eventual publicação, em 16/12)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.