sexta-feira, 18 de março de 2016

Brasil em chamas

Todos temos um pouco de espírito de contradição, eu não sou excepção...
Ao ver as imagens que nos chegam, vindas do Brasil, com a SIC a noticiar até à exaustão (porque será?), apetece-me ir contra a corrente e perguntar: trata-se realmente de um processo para limpar a corrupção, que lá como por cá grassa, ou ao contrário é para limpar elementos do governo que aparentemente não governaram muito a favor das classes privilegiadas?

Porque para mim parece mais uma luta de classes: a alta a querer recuperar “o paraíso perdido”, a muito “baixinha” a tentar impedir e a classe média (entretanto desaparecida em combate) apardalada no meio de tudo isso. Será?

5 comentários:

  1. É isso é, minha senhora. E quando "juízes" que andam envolvidos em manifestações de rua têm poder para anular uma nomeação legítima do presidente da República, fica claro que está tudo muito escuro... A luta contra a corrupção é outra coisa bem diferente daquilo que se está a passar, vide o que aconteceu na Itália uns bons anos já passados...

    ResponderEliminar
  2. Não tenho tido tempo para escrever, mas cá cai um comentáriozito: eu não sei se há motivos para criticar Lula. Sei é que as injustiças, as assimetrias sociais lá, ainda são muito mais brutais que aqui (estive lá quando estava na Marinha e vi, tanta miséria, tanta delinquência, tanta prostituição. Era o tempo da ditadura militar) e sei também, que o antigo sindicalista quando foi presidente, tirou milhões de compatriotas seus da miséria extrema e projectou aquele gigante a potência regional/mundial. E sei também que se a direita ou os militares substituírem Dilma, O Brasil regride e será muito pior para o seu povo e para todas as forças progressistas.

    ResponderEliminar
  3. O tempo é-nos dado, senhor Ramalho. Infelizmente, vivemos num mundo onde tudo é mercantilizado! E quanto ao Lula, claro que há-de haver motivos para o criticar. Mas a corrupção no Brasil é uma "instituição" que não foi criada por ele nem vai acabar se agora for usado como bode expiatório de todos os males. E é óbvio que há forças muito corruptas a manipular o descontentamento das massas...

    ResponderEliminar
  4. O Lula é o santo pecador, e não é o primeiro a cometer pecados. O problema é que não sendo religioso, a Igreja não tem poder para o perdoar e o povo, "ingrato", também não perdoa ao pobre que foge da matilha e se torna rico.

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.