terça-feira, 15 de março de 2016

OS ERROS DA AUSTERIDADE


       No ano passado, Cristine Lagarde assumiu publicamente que o FMI cometeu erros na aplicação do programa de ajustamento da dívida pública de Portugal. Pelos vistos, o BCE e a Comissão Europeia também pactuaram com esses erros, pois são parceiros daquela instituição na implementação do programa. E Passos Coelho reconheceu recentemente que errou em várias medidas de austeridade. Foi um fiel servidor da troika, totalmente desprovido de sentido crítico.
Não basta reconhecer os erros, é preciso corrigi-los! É o que se aprende logo nos bancos da escola! 
       Até ao momento, nenhum dos responsáveis pelo plano de austeridade se propôs corrigir os erros cometidos. Não tiveram, nem têm, atitude ética para tal!
      Dramático é que esses erros financeiros extorquiram aos portugueses muitos milhões de euros a mais do que o devido, destruindo o tecido social, cultural e económico de Portugal, e provocando impagáveis tragédias pessoais e familiares.
      É, portanto, legítimo que os portugueses sejam ressarcidos pelos erros cometidos, através da renegociação da dívida! 


Manuel Coimbra

   
     

1 comentário:

  1. Tem toda a razão. Mas quem é que quer, quem é que exige, a renegociação da dívida?

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.