segunda-feira, 28 de março de 2016

HAJA VERGONHA

                                                 ANTES BOIS DO QUE “BOYS”

A situação na Segurança Social de Braga, com o director a comportar-se como se de coutada sua se tratasse, praticando todo o tipo de tropelias contra o pessoal, que acabam por se reflectir em “baixas médicas” e no atendimento aos utentes, é o paradigma de um problema que demonstra a total falta de escrúpulos e de vergonha de todos quantos vêm perpectuando este sistema de satisfação de clientelas.
É evidente que o fulano que dirige aquele serviço carece de capacidade profissional e moral para tal cargo; todavia, dizem os seus correlegionários, foi aprovado pela famosa “cresap”, decisão de que o actual Governo – acrescentam – quer fazer tábua-rasa para lá colocar os seus militantes…
E é este tipo de afirmações que revela a podridão de um sistema que permite que os lugares da administração pública estejam em leilão sempre que há mudanças na governação do país. É tamanha a incongruência destes “impolutos” da Direita na defesa do seu “boy” que nem se dão conta de nos estar a tratar a todos por parvos, pois aquilo de que acusam os actuais governantes foi mesmo o que eles praticaram em larga escala logo que alcançaram o Poder.
Da tão propalada reforma do Estado que o anterior Governo se propôs, cometendo a tarefa de desenhá-la ao vice p.m. Portas, ficou para a história apenas o aborto parido por esse grande génio da nossa cena política.
Mas de uma séria reforma do Estado deveria ficar gravado na pedra que todos os lugares na administração pública jamais poderão ser coutada de partidos políticos, ficando claro que as chefias serão sempre nomeadas pela sua competência para cada caso, e as movimentações, quando necessárias, terão sempre como motivo a melhoria nos serviços, promoções para outros cargos. etç, e nunca porque um qualquer parasitóide teve uma “cunha” a que não se podia dizer “não”.


                                                Amândio G. Martins

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.