segunda-feira, 21 de março de 2016

Num segundo

Escrevo a propósito das treze estudantes universitárias em Erasmus,  que morreram ontem em Tarragona, Espanha, num acidente entre um autocarro e um automóvel ligeiro de passageiros...
Liguei imediatamente a sua «sorte» à história ficcionada de um escritor de algum sucesso que, num dia frio de Inverno, atropela uma criança. Não tendo culpa direta no que aconteceu, aquele momento vai marcar drasticamente a sua vida. Este é o argumento de «Tudo vai ficar bem» (2015), um filme de Wim Wenders. Conversando com Luís Caentano (A Força das Coisas, antena 2) sobre o filme e o carácter vulnerável da humanidade, o cineasta e dramaturgo alemão disse :  "de um momento para o outro as nossas vidas podem mudar. Pode acontecer a qualquer um de nós. Que gostaríamos de voltar atrás... mas não podemos. Não conseguimos. Habitualmente isto acontece aos outros. Nós lemos sobre isto. Há acidentes... aviões que caem... e de repente eis que acontece a nós próprios e somos nós que temos que responder à questão de «como ultrapassar o trauma?»; «Como continuar a viver ou como ajudar os outros a continuar a viver depois de algo terrível?» Não estamos preparados.
Tudo vai ficar bem...

(Público, 23-03-2016)

1 comentário:

  1. Publicado hoje,(23.03.2016), no jornal "Público". Obrigado à Maria do Céu. Obrigado ao Público.

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.