quinta-feira, 1 de junho de 2017

Atalhos atrevidos

Vedada a tudo que tenha motores
Vai na velha ponte diariamente
Aquela anarquia insolente
Atrevimento de alguns senhores.

Tais desafios prevaricadores
Quer a medo ou descaradamente
Que me é dado ver nada contente
Deviam ser cobrados aos autores…

E que fedorentas as motoretas
Nada têm a ver com as bicicletas
Que não deixam ninguém agoniado.

Fazem de conta que somos “ceguetas”
Àqueles gases fazemos caretas
Num espaço que não é respeitado!


Amândio G. Martins

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.