quarta-feira, 2 de março de 2016

Constatações e outras considerações


Será que eutanásia não é ‘deixar morrer’ por compaixão? Uma pessoa vegetando na maior das dores, impossíveis de suportar, não poderá morrer em paz?
Entretanto, na primeira página do jornal diário que leio com mais atenção, leio:
1 – ‘Inédito – montanhistas perdidos no Gerês foram multados’. E por que não? O seu livre arbítrio não lhes dá o direito de porem em risco a vida dos seus salvadores, nem gastos recursos que poderiam ser aplicados em situações de catástrofe natural.
2 – ‘Marão – fim de obras no túnel lança 400 no desemprego’. Mas, tais empregos foram sugeridos de modo a serem considerados de longa duração?
3 – ‘Largou o vício de fumar por amor aos filhos’. Que linda atitude paternal, só que podemos perguntar por qual amor iniciou o vício?
4 – ‘Condecorações – Cavaco Silva foi o presidente mais poupado, com perto de 1 500 agraciados, enquanto Mário Soares foi recordista, com mais de 2 500 distinções’. Se o primeiro foi um sovina, ao segundo faltou-lhe condecorar a tartaruga na qual se escarrapachou durante o seu reinado nas Bermudas.
5 – ‘Passos aposta na falência do Governo’. Acham bem esta atitude? É louvável aos olhos dos portugueses este seu ‘vale tudo’, até ‘tirar olhos’?
6 – ‘Reclusos vão poder falar com famílias através da internet’. Achamos muito bem tão benemérita atitude, uma vez que quem tem ‘férias forçadas’ também terá direito a outras benesses daí advindas.


José Amaral

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.