quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Honra em memória de Mário Moniz Pereira

     Desapareceu- nos fisicamente Moniz Pereira, com 95 anos de idade, sendo considerado, com justiça, o senhor atletismo e ‘pai’ da modalidade, fazendo milagres por ela. Apaixonado, foi o maior responsável pelo
meio-fundo, fundo, corta-mato, pista e estrada com tantos títulos para Portugal. A ironia da vida fez com que este homem bom partisse no mesmo dia em que alguns atletas lusos rumassem aos Jogos Olímpicos,
no Brasil. Esteja onde estiver, o melhor tributo que lhe poderão dar, será estes desportistas alcançarem medalhas, também como gratidão ao obreiro amantíssimo do desporto pedestre. Representou o Sporting CP como atleta, treinador e dirigente, deixando um lastro de grato respeito e amizade.
  Eu, enquanto criança, via realizar-se o Grande Prémio de Natal em atletismo, em Carcavelos e lá estava ele, a orientar Manuel de Oliveira, Armando Aldegalêga e outros atletas. Ladeando-o e escutando-o fixamente
despertei-lhe a pergunta: “Ó miúdo, também corres?” – ‘Gostava de ser como o Manuel de Oliveira!’, disse eu. Riu-se e lhano, respondeu:”Tens que treinar todos os dias”.
  Como exemplo e pelo rasto e amor ao desporto que trespassou, será imortalizado! 

                                         artigo de opinião de  Vítor Colaço Santos

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.