sexta-feira, 21 de outubro de 2016

A MULHER DO APOCALIPSE

Ontem aconteceu. Apareceu em Vilar do Pinheiro o personagem dos romances de Henry Miller e de Charles Bukowski. É a mulher de Modivas. Falou sem parar do apocalipse, dos eleitos, de Deus, de Sócrates, da árvore do conhecimento, tudo num tom profético. Fiquei extasiado a ouvir, a dialogar, a fazer perguntas, a beber copo sobre copo com ela. Assim aprendemos. Assim escapamos ao grande circo dos macacos. Assim vale a pena estar aqui. Assim é a liberdade absoluta.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.