sexta-feira, 7 de outubro de 2016

arrancada

Este poema foi concebido aquando da minha missão de soberania na GUINÉ nos anos de 1966 a 1968, tendo, agora, o toque gráfico do meu confrade Ademar Costa, da PÓVOA DO VARZIM.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças. Não diga aos outros o que não gostaria que lhe dissessem. Faça comentários construtivos e merecedores de publicação. E não se esconda atrás do anonimato. Obrigado.