quinta-feira, 3 de março de 2016

COM TODO O AMOR

Uma estranha ternura pelo mundo se apoderou de mim. Amo as mulheres e os seus jogos florais. Amo a juventude hippie e florida. Amo os livros que me ensinam a vida. Amo a vida e os homens e mulheres que filosofam. Amo o sol e até os carros que passam. Amo os pássaros e as árvores. Amo a Leonor que se preocupa. Amo o movimento e as cores. Amo a música e quem criou tudo isto. Amo Sócrates e Jesus. Amo os meus pais que me deram a vida. Amo Marx e Bakunine. Amo Friedrich Nietzsche e William Blake. Amo Picasso e Dali. Amo todos os criadores. Amo-te, ó eternidade!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.