segunda-feira, 11 de julho de 2016

O Arco do Título maior que o do Triunfo

- Não há Campeões sem sorte. E nem só para descer, todos os Santos ajudam. Portugal que o diga desde que iniciou o seu apuramento para o Euro 2016. Hoje dia 10-07 do ano de todos os emigrantes e nacionais, S.Patrício marcou presença no Stade de France e a Nação valente e imortal, foi puxada para cima e acabou por merecer o Título tantos anos procurado e desejado. O perigo Griezmann e o terror Cristiano, acabaram por não existir. Glória aos vencedores e parabéns aos vencidos. O golo da vitória grandiosa aparece após um erro clamoroso do árbitro que marca um livre contra os gauleses por mão de um jogador luso, e dessa confusão continuada, surge a jogada seguinte que faz encontrar o vencedor que menos fez para o ser. A sorte sempre existe e não dá afinal assim tanto trabalho. Basta rezar ou trazer um crucifixo entre mãos, e ser crente de princípio ao fim. Afinal é justo e razoável dizer-se que "Santos" de casa  mesmo fora dela, fazem milagres, ou que a Fé move montanhas. Até Ronaldo ajudou, lesionando-se, o que permitiu à Equipa das Quinas libertar-se, e correr para o brilhante Troféu e tão cobiçado. Saiu-nos assim o Euromilhões maior, que a Europa previa entregar. A UEFA falha, ao não prever ela que também devia haver um Prémio para o melhor treinador do Campeonato. Esse foi o crente convicto, Fernando Santos, Honra lhe seja feita!

6 comentários:

  1. Como de costume, com muito humor à mistura, o amigo faz a análise da última glória portuguesa. Como li com cuidado o seu artigo, o que sempre faço, verifico que a data que refere é 10-07 e não 10-06 como escreveu. Um abraço lusitano.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu Caro Amigo Joaquim, por ter destapado e corrigido a data. Obrigado por tudo quanto diz e a atenção com que o faz. Abraço - J.a.m.

      Eliminar
  2. É que o 10-6 - DIA DE PORTUGAL - prolongou-se até ontem - 10-7.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ....é uma verdade que só o Zé Amaral definiu com o rigor que lhe é peculiar, mas que a mim escapou por falta de igual genialidade. Abraço meu Caro - j.a.m.

      Eliminar
  3. O José Bernardo devia ser político, porque tem sempre uma intervenção criteriosa para remediar qualquer diferença analítica. Só não é político, porque honesto com é, teria dificuldade em conviver no meio, onde, muitas vezes, os interesses se sobrepõem à verdade. Um abraço e mande sempre!

    ResponderEliminar
  4. Muito grato fico a ambos, AMIGOS PARA SEMPRE.

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.