quinta-feira, 27 de julho de 2017

Desabafo (im)pertinente

Aqui venho depois de ter comentado, em jeito diverso, três textos de companheiros de escrita neste blogue. E porque dei por mim a ver e a estranhar que a "coluna da esquerda", a do número de comentários, esteja cheia de zeros quando, por vezes, a da direita está "pletórica" de visualizações.
Dir-me-ão que não me "meta onde não sou chamado", que me deixe de considerações espúrias e outros "mimos", mas confesso a minha estranheza já que um blogue é, por natureza. um local de discussão. Concordando, discordando, brincando, falando sério, enfim... discutindo. Em jeito de rodapé, só mais uma coisa: porque será que há autores de "post", depois deste desencadear imensos comentários, não intervêm mais, como se o assunto fosse dos outros?
Tenho consciência que entrei num "campo minado" mas desabafei com sinceridade e o mais que me pode suceder é o vosso silêncio ""piedoso" que, aqui sim, será merecido dado o teor do meu texto. Ou, vai daí, talvez este possa ser um "aguilhão", quando se prepara uma petição a solicitar mais voz para os escritores de cartas aos jornais, muitos deles também habitando este espaço de blogue.

Fernando Cardoso Rodrigues

6 comentários:

  1. Caro Fernando, Pois aqui comento, para dizer que concordo quando diz que temos neste blog tantos post com tantas visualizações e por vezes nem um comentário. E também estranho que se faça tão pouco contraditório, pondo, acrescentando, corrigindo, contrapondo,discordando, mas no final, contribuindo para o fluxo das ideias, todas diferentes, todas a merecerem atenção.
    No que a mim respeita, peço-lhe e agradeço que me comente, e sempre criticamente, como o farei mais consigo (a minha preguiça não é uma desculpa decente).

    Um abraço,

    luis Robalo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Confesso que a minha intuição me dizia que, se houvesse comentários, um dos primeiros seria seu. Por uma vez acertei! Grato por ele! Um abraço!

      Eliminar
  2. Acertou mas por pouco pois acabo de abrir a caixa e concordo com ambos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois acredite Jorge Morais que também é um de quem eu esperava a "visita". Grato!

      Eliminar
  3. Caro Fernando,
    Não sei se frustro a sua intuição aparecendo aqui a comentar. Se sim, desculpe o “incómodo”. Se não, cá estou a cumprir o meu dever. Começo por dizer que o seu tema é mais do que pertinente. Tanto que tenho a “marinar” já há alguns dias um texto meu sobre o mesmo assunto, só que ainda não me decidi a dar-lhe mundo. Não será pelo que direi a seguir que a sua publicação possa ser inviabilizada. Portanto, com a devida vénia a si e ao Luís Robalo, vou sublinhar algumas das vossas expressões: local de discussão, concordando, discordando, brincando, falando sério, discutindo; contraditório, pondo, acrescentando, corrigindo, contrapondo, discordando, contribuindo para o fluxo das ideias. Em suma, viver.
    Um enorme obrigado os dois.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não frustrou nada,José! O trio de "intuições" está completo. a partir de agora é aleatório. E muito grato pelo que juntou às "funções" dum blogue, no caso, deste nosso.

      Eliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.