terça-feira, 25 de julho de 2017

Encruzilhadas

Perigoso tabuleiro
Aventureiro destino;
Jogas tudo sem receio
Pagas para ver primeiro
Sem medir o desatino…

Tão linda e temerária
Dando pérolas aos porcos;
Pára de ser perdulária
Larga vida tão precária
Foge dos caminhos tortos!

Ou hás-de ter de lamentar
Esse teu comportamento;
Quando alguém te for lembrar
Se tiveres de educar
Que não és um bom exemplo…

Gaivotas desnorteadas
Bem pouca gente suporta;
Às lixeiras destapadas
Vão as aves tresmalhadas
Do mundo que não dá conta.


Amândio G. Martins

2 comentários:

  1. Mas olhe que de pouco serve, doutor Fernando...Paira uma sensação de impotência!

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.