segunda-feira, 24 de julho de 2017

MINISTRO, OU SINDICALISTA?


Quando pensávamos que nesta nossa já provecta idade já tínhamos visto tudo, eis que o ministro dos Estrangeiros, nos conseguiu surpreender. Em recente entrevista a uma TV, declarou “Se fosse trabalhador da PT se calhar também estava a fazer greve” (fim citação).
Em primeiro lugar, a PT não responde directamente na área tutelada pelo ministro. Mas muito pior do que isso, é que o ministro tem que governar, ninguém lhe paga para afirmar opiniões pessoais ou estados de alma. E ao substituir-se á CGTP, está a dar um péssimo sinal aos investidores estrangeiros, como a Alice (dona da PT), que investiram muito e outros que estudam ainda fazê-lo. Os assuntos do sector privado numa economia de mercado livre tratam-se nos reguladores independentes. Só numa economia centralizada e autoritária, como na Coreia do Norte, Cuba ou Venezuela, o governo manda e intervém no sector privado a seu bel prazer. E o que é preocupante na nossa sociedade, é que comentadores e jornalistas, ninguém fez o mínimo reparo. Se Santos Silva quer ser sindicalista, e eu até acho que tem jeitinho, faça favor, mas saia antes do governo.


10 comentários:

  1. Que me lembre, já escrevi duas cartas sobre o Ministro Santos Silva, que lamento que seja da minha cidade. A última, em 11.12.2016 com o título “Cuidado com a falta de visão” que poderá consultar neste blogue e vai ver o opinião que tenho dele.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Queria uma cidade só de "bons rapazes"?

      Eliminar
    2. Folgo imenso saber que tem a minha opinião do sujeito.

      Eliminar
    3. Como podia ser de outra maneira se a minha ambição é ser... independente?

      Eliminar
    4. Lendo em algures o seu comentário das 14H15, penso que tem um longo caminho a percorrer. Mas está bem. Talvez lá chegue.

      Eliminar
    5. Agora que tenho "paradigma", vou conseguir. O seu "talvez" já é uma esperança para o meu "caso perdido".
      Um bom resto de tarde para si!

      Eliminar

    6. Sem dúvida:

      Mas muito pior do que isso, é que o ministro tem que governar, ninguém lhe paga para afirmar opiniões pessoais ou estados de alma.

      Eliminar
  2. Esse senhor consegue tirar-me do sério, como nunca o fizeram Soares e Guterres. Já escrevi diversas cartosas sobre ele. Outros "queridos" de estimação que tenho nesta "situação", são o Galamba, o César e o Ferro. Infelizmente têm-me ocupado mais tempo do que esses miseráveis merecem. É a vida...Óbvio que na chamada direita, também tenho alguns casos tristes, mas não conseguem tirar-me do sério.

    ResponderEliminar
  3. OBS: esta carta foi publicado na íntegra no jornal PÚBLICO ana sua edição de 25/7/17.

    ResponderEliminar
  4. De facto:

    Mas muito pior do que isso, é que o ministro tem que governar, ninguém lhe paga para afirmar opiniões pessoais ou estados de alma.

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.