sábado, 22 de julho de 2017

Página em branco

Apela para mim a folha branca
A desafiar-me imaculada
Esperando que vai ser bem tratada
E eu com muito fraca  esperança…

Não custa nada ser pessoa franca
Pois a branca folha envorgonhada
Se tiver de se mostrar conspurcada
É por mim que o mundo lhe desanca.

Sem qualquer vontade de ser anormal
Quando já se aproxima o final
Acontece perder-se o juízo…

Mas eu só queria deixar um sinal
Que a fazer o bem vencemos o mal
Fazendo da Terra um paraíso!

Amândio G. Martins


Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.