domingo, 16 de julho de 2017


EXPRESSO    15.07.2017


Tancos: grave é roubo, não o valor

_____________________________________________________________________________

Agora oficialmente “dizem-nos” que o valor do que foi roubado em Tancos será de €34 mil e que parte do que foi roubado seria para “abater ao ativo” dado já não estar em condições de utilização.

(…)

Nem que sejam €10, seja o valor que possa ser, é um roubo de algo “pertença do Estado” que foi pago com os nosso impostos, logo, nunca poderia ter sido roubado. Por outro lado, qualquer pessoas que teve que fazer “tropa” sabia que quando lhe entregavam uma G3 nunca a poderia perder, nunca a podia deixar ser roubada, seria gravíssimo e iria sofrer as consequências. Assim, tudo o que possa ser dito para desvalorizar o “roubo em si”, porventura é muito pouco. Houve um roubo de armas e munições ao Exército português, tal como antes havia acontecido com pistolas Glock à PSP, e “isto” é gravíssimo.

Aqui é que está o problema.



Augusto Küttner, Porto

2 comentários:

  1. Este país atravessa um mau período, em que se perdeu a vergonha e a noção dos deveres e da responsabilidade. Isto é muito mau, porque pode levar à desorganização da vida social. É preciso acordar e não nos deixarmos embalar nesta canção de letra obscena e de passa culpas, porque tudo de mau foi sempre feito pelos outros, dado que a perfeição está sempre nos que, na altura dos factos, estão no poder. O barco está a afundar-se, e os passageiros e a tripulação irão com ele, se não lhe mudarem o rumo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem toda a razão! mas parece que todos , essencialmente os "tripulantes" de antes e de agora, pensam e assumem que só nos afundam a nós e "eles" se safam, razão pela qual , quanto pior = melhor.

      Abraço

      Augusto

      Eliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.