segunda-feira, 10 de julho de 2017

Do ser e do ter

Tendo sido convidado
A tomar uma refeição;
Depois de lá ter entrado
Diógenes foi avisado
Que não cuspisse ali no chão.

O sábio irreverente
Não aceitou gesto tão vil;
Sem respeito por tal gente
Foi cuspir no prepotente
E regressou ao seu barril.

E nos andrajos que vestia
Pouca gente reparava;
Mas a tal candeia de dia
Era o que mais surpreendia
Pelo Homem que buscava…

E nem ao Grande Alexandre
Pensou que devia agradar;
Ao guerreiro importante
Exigiu extravagante
Que lhe deixasse o Sol brilhar!


Amândio G. Martins

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.