quinta-feira, 14 de abril de 2016

A DOENÇA DA INTERNET

Especialmente entre os jovens dos 16 aos 30 anos, há quem passe 18 horas por dia em frente ao ecrã, seja telemóvel, computador de casa ou portátil. Segundo Pedro Hubert, psicólogo especializado em dependências comportamentais, as pessoas são adictas, não à Internet, mas ao conteúdos que esta proporciona: jogos, pornografia, redes sociais ou compras. Tudo isto é revelador de uma vida virtual, de falta de contacto com a realidade, com as emoções, com as pessoas reais. Estes jovens vivem num mundo de fantasia, que lhes transmite estímulos perniciosos, que lhes mata os afectos, que os mecaniza e isola. Causa-lhes também distúrbios mentais e patologias várias. É mesmo um Admirável Mundo Novo.

2 comentários:

  1. Tem toda a razão, e foi possível ler num artigo recente da Visão, que "até" a capacidade de desempenho da sexualidade "vai-se", dado que : ´

    Tudo isto é revelador de uma vida virtual, de falta de contacto com a realidade, com as emoções, com as pessoas reais.

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.