segunda-feira, 11 de abril de 2016

texto de opinião da autoria de Vítor Colaço Santos

   Portugal ainda é visto como um protectorado pela “U”E, dominada pela Alemanha e pelo Banco Central Europeu(BCE). Temos sido um laboratório experimental (confirmado pelos burocratas não escrutinados de
Bruxelas), onde nos impuseram uma austeridade cega de garrote e, no entanto, a dívida cresceu 32%! O presidente da República convidou o seu homólogo
do BCE, Mário Draghi, para uma reunião do Conselho de Estado. Seria boa ideia que Draghi escutasse, registasse e actuasse em conformidade com questões postas por um ou outro conselheiro de Estado. Não creio.  Este está ao serviço da Finança, Mercados e deste sistema que nos atira para a margem. Teve a sem vergonha de elogiar o desempenho do malfeitor executivo austeritário do PSD/CDS. Adiantou que o mercado de trabalho tem que se reformar - leia-se mais desregulação laboral- e reduzir ainda mais os miseráveis salários de quem trabalha. Este figurão, ex-dirigente da Goldman Sach, recebeu no último ano, só em ordenados - €385 mil, um aumento de €6252 face ao ano anterior. Acrescem gordos subsídios de deslocação e representação isentos de impostos(!). Que autoridade e que moral tem ele para impor mais austeridade a Portugal?
 
                                                 Vítor Colaço Santos
                                                
 

1 comentário:

  1. Uma saudação especial ao Vítor Santos, que andava desaparecido do nosso blogue e que o, nosso comum amigo, José Amaral trás de volta. Como de costume, o conteúdo do artigo é sempre a propósito, e está na linha de crítica à legislação, nacional ou europeia, que protege os ricos em desfavor dos pobres, que, acabam de pagar todas as mordomias dos "senhores" que estão por cima. Um abraço lusitano aos dois.

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.