quarta-feira, 29 de março de 2017

Mãe Natureza, obrigado

Com a previsão meteorológica a informar que ontem, Domingo 12, ia ser um dia de chuva na região norte, foi com alegria que ao sair de casa vi que a Mãe Natureza tinha fintado os meteorologistas brindando-nos com um dia primaveril. Após a compra habitual dos jornais, optei por lê-los sentado num robusto banco do jardim, lembrando-me que os outros, os comerciais, deixaram de o ser para mal dos nossos pecados. E por falar em pecados, não sei se cometi algum, o que é certo que fui atingido por uma "prenda" de gaivota que me sujou o blusão. Como a expressão popular diz que - trampa é dinheiro, logo pensei que como era dia de "joker" talvez fosse bafejado pela sorte. Agora, passando à leitura do JN, dois títulos me chamaram a atenção. No primeiro, ficamos a saber através da Ordem dos Médicos que 600 médicos pediram certificados para efeitos de emigração durante o ano de 2016, o que representa um aumento de 29% face a 2015 e 52% face a 2014, período em que éramos governados pela troika em consequência dos desmandos dos governos de Sócrates. Claro que a concretizar-se esta saída, e dando um certo jeito ao actual governo, os noticiários irão abrir com a notícia que a taxa do desemprego irá finalmente ser de apenas um dígito. Quanto ao segundo, ficamos a saber que o Governo prepara um decreto-lei sobre a "morada digital", que segundo a Protecção de Dados, e entre muitos alertas, cita o crime informático com cruzamento de dados pessoais, o risco de "phishing", de não garantir a inviolabilidade das comunicações e por isso anticonstitucional, sendo omisso em muitos aspectos o que me obriga a baixar para nota negativa à Ministra Maria Leitão a quem lhe tinha dado positiva quando apresentou o simplex com 255 medidas. Mas se puxarmos um pouco o filme atrás, o mesmo Governo que prepara esta lei contra a privacidade dos cidadãos, impediu que se soubesse o conteúdo de SMS sobre um assunto que apesar de oficial, não tinha qualquer classificação de segurança. Se bem se lembram, no fim da cerimónia da apresentação do simplex, o Primeiro-Ministro ofereceu à Ministra uma vaca voadora. Ora foi precisamente a Mãe Natureza que, sabendo o enorme perigo que teria sido dar asas às vacas, pois no momento de defecar, a integridade física de qualquer cidadão correria graves riscos. Para vos satisfazer a curiosidade, termino informando que o dito popular invocado no início sobre o "joker", mesmo com a sujidade no blusão, ainda não foi desta. Jorge Morais
 
Publicada no DN-M em 26.03.2017
 
 
                                                             Ilustração do Leitor Paulo Pereira
 
 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.