domingo, 19 de março de 2017

Imortalidade





Não me faltas porque te absorvi. Abriguei-te em definitivo na finitude tua, que será um dia a minha. Assim continuará com os meus filhos e os deles. É a imortalidade.


3 comentários:

  1. Luís, nunca tinha pensado nas coisas assim! Realmente a imortalidade existe. Não a literal mas sim a que se nos impregna na... nossa mortalidade! Leitura abusiva, a minha?...

    ResponderEliminar
  2. Bonita definição. Isto é uma mensagem poética e filosófica.

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.