segunda-feira, 20 de março de 2017

Rumo à vitória final – qual deles?

Numa épica noite, quase de Primavera, engenhosos marceneiros da Capital do Móvel – Paços de Ferreira – empataram a prometedora carreira dos talentosos elementos que compõem o grupo que representa a catedral, que já fora o templo de Jesus.
E vai daí, para não ficar atrás, na noite seguinte, o Dragão, que já fora mui glorioso conjunto, em que o azul-celeste céu também foi o seu pico máximo, agora, pelo toque pouco mágico de um Espírito Santo sem chama, lá se postou no mesmíssimo lugar que antes ocupava.
Pelos vistos, castores e sadinos são mais actores e ladinos do que aqueles que semana a semana contam com o ovo, quando ainda está no dito da galinha.


José Amaral

3 comentários:

  1. Magnífico texto!! Ironia desbragada e acertando em tudo o que "toca"!

    ResponderEliminar
  2. Bravo meu Bom Amigo Amaral. Belo e satírico comentário/relato, que põe a nú os "filósofos e sapientes" mestres das tácticas demagógicas, das frases feitas, repetidas, sem resultados positivos, mas bem badalados, para adepto sonhar. No dia seguinte, é que está a verdade. A realidade que se impõe e faz cair do pedestal os fazedores de conversa fiada, que dá em pesadelos duros, diante dos valorosos adversários tomados como fracos na véspera dos combates - Os verdadeiros vencedores!

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.