segunda-feira, 30 de julho de 2018

A escravatura moderna existe!

Actualmente, em todo o mundo, a escravatura moderna tem 21 milhões de pessoas sujeitas a
trabalho forçado. O volume de lucros ilegais, com a escravatura, é igual ao das cifras das 4
maiores empresas mundiais e atinge os 150 mil milhões de euros! Este monumental crime
económico foge aos impostos que serviriam para a Saúde e Educação públicas, a Segurança Social, a Cultura e por aí fora.
   A imprensa, com alguma regularidade, tem noticiado que Portugal regista situações de escravatura. A polícia actua. As decisões judiciais, afigura-se-nos, não têm acompanhado proporcionalmente, estas repugnantes situações em apreço. Quem se apropria da força de
trabalho, sejam imigrantes ou naturais, pela sua condição frágil e a troco de falsas promessas,
além de nada lhes pagar, sujeita-os à clausura, à má alimentação (leia-se fome, na maior parte das vezes) e a condições sub-humanas de alojamento - deve ser impiedosamente punido. A revelação dos veredictos judiciais e identificação dos criminosos será uma forma dissuasora destes atentados lesa condição humana, poderem ser atenuados. Pelo exemplo da justiça.
Estes inqualificáveis crimes contra a humanidade, a todos, todos dizem respeito. Urge tudo fazer para os denunciar e erradicar!

                Vítor Colaço Santos



3 comentários:

  1. Hoje é um dia bom para o blogue! O Vítor escreveu e publicou pela sua própria mão um texto.Isso permite que possamos entrar em diálogo sempre que o entendamos por necessário. Muito bom!

    ResponderEliminar
  2. É caso para dizer que fui despedido. Mas com aviso prévio. Bem-vindo à acção directa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem, como já disse. Espero é que outros sigam o exemplo do Vítor, para eu deixar de fazer o esforço de não comentar algumas coisas pela simples razão de não obter contraditório. Agora mesmo vou abrir uma excepção para o texto de ontem do Quintino Silva, até para ver se ele ganha alento para publicar o que escreve. Mais um despedimento para si, José?... Espero bem que sim.

      Eliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças. Não diga aos outros o que não gostaria que lhe dissessem. Faça comentários construtivos e merecedores de publicação. E não se esconda atrás do anonimato. Obrigado.