sexta-feira, 13 de julho de 2018

DESONESTIDADE INTELECTUAL!


DESONESTIDADE INTELECTUAL!


Senhor PM, foi muito feia a sua postura no último debate da Nação, que ocorreu na AR. Está no seu direito de fazer propaganda (ou divulgação, se preferir) dos valores do investimento do seu governo nas diversas áreas, e até compará-las com as do anterior governo. Agora o que não pode é omitir que as estatísticas muito fracas do governo de Passos Coelho, na sua maior parte resultaram de políticas e decisões que lhe foram impostas pela "tróica" e pelos credores internacionais no período do resgate financeiro. Este foi iniciado e decidido pelo governo do PM José Sócrates, de que V. Exa. fez parte como número dois. É que omitir esse facto importantíssimo, é na prática difamar o anterior governo e o seu PM como se estes tivessem procedido com sadismo ou incompetência, ao sacrificar os portugueses com draconianas medidas orçamentais. E por favor não nos venha dizer que Passos foi culpado do resgate, por o então PSD ter chumbado (com os restantes partidos) o PEC IV da UE. Foi um ministro socialista desse governo, Teixeira dos Santos de seu nome, que apesar das pressões em contrário do seu PM, teve (tardiamente, é claro) um rebate de consciência e perante a bancarrota de não ter já dinheiro para as obrigações de tesouraria, chamou a UE. Eu só faço votos para que o povo, quando fôr chamado a votar em 2019, tenha presente que a única diferença entre o governo de Passos e este de V. Exa. foi que o primeiro não vendeu a alma ao diabo para conservar o poder. E quanto à austeridade de Passos, estamos falados. O povo nos finais de 2019 já deve ter percebido, que o seu governo se preocupou apenas com a satisfação das classes mais protegidas pela CGTP-PCP e UGT, de maior poder reivindicativo. Os pobres e reformados, infelizmente, continuam de mal a pior.
OBS-Foi publicado na edição do EXPRESSO de 21/7/18 e na edição do Público de 28/7/18.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças. Não diga aos outros o que não gostaria que lhe dissessem. Faça comentários construtivos e merecedores de publicação. E não se esconda atrás do anonimato. Obrigado.