terça-feira, 24 de julho de 2018

MEMÓRIAS DA REVOLUÇÃO

Em pleno PREC, as posições estavam muito extremadas. O meu amigo Mário Ribeiro, "ameaçava" assim, o filhote traquina: "Filipinho, se continuares a portar-te mal, prendo-te na varanda a ver passar os pêpêdês". E era quanto bastava para sossegar a criança. Este, era o castigo mais severo que se podia aplicar a um puto irrequieto.

Também passei por essa fase fundamentalista. Eu era tido como mais soarista  que o Soares. No final de um jantar/comício que ajudei a organizar, aqui na Trofa, Mário Soares ao comentar as várias intervenções atirou: "o nosso camarada José Valdigem disse, entre outras coisas, que não é soarista. Quero informar que por acaso eu também não sou".

José Valdigem

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças. Não diga aos outros o que não gostaria que lhe dissessem. Faça comentários construtivos e merecedores de publicação. E não se esconda atrás do anonimato. Obrigado.