quinta-feira, 12 de julho de 2018


Coisas de certa nobreza...


A senhora chama-se Corinna Sayn-Wittgenstein, pertenceu ao “inner circle” do rei Juan Carlos, de Espanha, e queixa-se de estar “a vivir una enorme pesadilla” porque, segundo afirma, o rei terá registado em nome dela, sem o seu conhecimento,  património valioso, nomeadamente dinheiro na Suiça e uma propriedade em Marrocos, oferta do soberano de lá.

Corinna diz-se pressionada e ameaçada para devolver aqueles valores, ao ponto de já lhe terem invadido o escritório e vasculhado os computadores, sob o comando de um advogado suiço conhecido pelo envolvimento em negócios sujos; todavia, recusa-se a devolver seja o que for, argumentando incorrer num crime de “lavagem”.

Já eram do conhecimento geral as “infiéis” escapadelas de Juan Carlos à “reina” Sofia, a exibição de troféus de caça proibida, mas de manobras assim para esconder património no estrangeiro não se suspeitava, nem cunjugam bem com as declarações de repúdio proferidas acerca da conduta do genro Urdangarin...


Amândio G. Martins



Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças. Não diga aos outros o que não gostaria que lhe dissessem. Faça comentários construtivos e merecedores de publicação. E não se esconda atrás do anonimato. Obrigado.