sábado, 14 de julho de 2018


Chamou-lhe ciática...


Parece que aquele Jean Claude da União Europeia gosta bastante da pinguita, não se reservando mesmo quando a coisa pode dar muito nas vistas; e foi o que agora aconteceu, valendo-lhe na circunstância o amparo de alguns políticos que lá tinha reunidos, com o nosso Costa sorrindo de gozo, para que não se estatelasse ao comprido.

O homem, que caminhava cambaleante, beijando tudo que tivesse ao alcance da beiça, diz que aquilo foi apenas um desagradável ataque de ciática, que é uma coisa danada, porque também já experimentei; antes fosse uma borracheira, disse ele, no que até concordo, porque aquilo passa depressa, enquanto o nervo ciático se mantém no sítio.

Seja como for, se eu estivesse no lugar dele, de onde ninguém espera nada de especialmente bom, se calhar também me emborrachava, que é o que costumam fazer as pessoas perante a impotência de não conseguirem fazer qualquer coisa de jeito...


Amândio G. Martins



2 comentários:

  1. Sabe, Amândio, quando li o que escreveu acima fiquei, como hei-de dizer, com vontade de ficar calado. talvez por pena. Mas vi, há momentos, no Governo Sombra, as imagens e... "valha-me Nossa Senhora"! Uma coisa posso dizer: ciática NÃO É!! E se não é bebebeira ( o que parece francamente a 99.9%...), o homem está gravemente doente com uma doença do equilíbrio! Que deve ter sido "somente" uma borracheira, di-lo o ar calmo, bonacheirão e até gozão dos outros, inclusivé do A. Costa.
    Estamos aqui neste espaço a falar disto como um banalidade mas isto é MUITO GRAVE! Este homem não pode estar a presidir à Comissão Europeia! NÃO PODE!!

    ResponderEliminar
  2. Ha compreensão, que diabo, o homem é um bonacheirão e, por mim, pode ser reconduzido; entenda-se que naquela posição está sempre de serviço, sem privacidade sequer para tomar o seu pilequinho sossegado...

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças. Não diga aos outros o que não gostaria que lhe dissessem. Faça comentários construtivos e merecedores de publicação. E não se esconda atrás do anonimato. Obrigado.