sexta-feira, 20 de julho de 2018

A LIÇÃO DOS PROFESSORES




Vivi com uma professora primária. Ou, como se diz agora, do ensino básico. Quando juntámos os trapinhos, já lá vão uns anitos, eu, como bancário, ganhava mais do que ela. Hoje, ganha ela, bastante mais que eu. Quero com isto dizer que ela ganha muito? De maneira nenhuma! Até ser colocada numa escola fixa, teve que andar com a casa às costas de um lado para o outro. A morar no concelho do Seixal e com dois filhos pequenos, chegou a trabalhar nos concelhos de Alcácer-do-Sal e Grândola. Para além de aturar os meninos e meninas, como lhe competia , tinha ainda, muitas vezes, de aturar os pais deles. Além destas dificuldades específicas, a profissão de professor, é muito nobre. Dela depende, em grande parte, a formação dos homens e mulheres de amanhã. Portanto, o professor, deve ser respeitado e motivado.
No passado dia 19 de Maio, houve uma manifestação de professores em Lisboa que, pela sua dimensão, parecia a do 25 de Abril. Calculou-se em 50 mil. Mesmo assim, apesar da grandiosidade, passou aí nas televisões, como cão por vinha vindimada. Não conheço, ao pormenor, os motivos que levaram os docentes, mais uma vez, a demonstrar o seu espírito de unidade e luta que persiste, a dar mais esta “lição” a outros sectores do mundo do trabalho. Mas, com certeza, são razões bem justas e pertinentes.
Voltando à vaca fria, que é como quem diz, à comparação da minha vida profissional com a da minha ex, convém destacar aqui um”pormenor”; é que ela, e a classe a que pertence, têm, ao longo dos anos, eleito gente para os representar que não transige, gente que se bate por aquilo que é justo, sem cedências. Gente que, para não empregar aqui o adjetivo que estão a pensar, direi que não dececiona. Ao passo que os bancários, apesar de, para além de outros dois, pertencerem a um dos mais poderosos sindicatos deste país; o Sindicato dos Bancários do Sul e Ilhas, têm, como demonstro no exemplo acima ( e há outros) marcado passo há muitos anos.
Termino com outro “pormenor”. É que, os sindicatos dos bancários, são o principal suporte da UGT…
Francisco Ramalho
Corroios, 12 de Julho de 2018

PS- Escrevi este texto para ser publicado na próxima edição (terça-feira, 24) do semanário onde colaboro, “O Seixalense”. Decidi substitui-lo por outro, referente a um recente evento que teve lugar em Corroios. Uma justa homenagem onde participaram, num belíssimo espetáculo, muitos artistas da nossa terra. Sobretudo, jovens. Uma popular e oportuna iniciativa da Junta de Freguesia de Corroios.




Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças. Não diga aos outros o que não gostaria que lhe dissessem. Faça comentários construtivos e merecedores de publicação. E não se esconda atrás do anonimato. Obrigado.