segunda-feira, 16 de julho de 2018

O homem do guarda-chuva

A cerimónia de entrega das medalhas e da taça, no final do França-Croácia, ganho pela primeira, foi um verdadeiro espectáculo... e de vária ordem! Em si mesmo e nas peripécias nela desenroladas. A chuva começou a cair impiedosamente e com ela trouxe ao de cima sinais de alegria pura e... de ordem política. A primeira pertenceu, em plenitude, à presidente da Croácia, esfuziante e sincera, com o presidente francês a acompanhá-la muito bem. Ambos molhados até aos ossos!...
Mas houve um "sequinho", rígido, ele mesmo, o "imperador": Putin, o presidente russo! O guarda-chuva apareceu de imediato para protecção do fato e da pele glabra do frio homem, enquanto era esquecido para os dois presidentes democratas que (como bem diz Rui Tavares, na sua crónica do PÚBLICO de hoje), por o serem, sabem que... "quem anda à chuva, molha-se"... o que nada lhes importou, um porque ganhou no campo e outra porque é LINDA, por dentro  e por fora!

Fernando Cardoso Rodrigues   

5 comentários:

  1. Isto é mais uma nota de rodapé ao meu texto: "Este homem que se vai encontrar hoje, em Helsínquia, como o "palhaço-mau"..."

    ResponderEliminar
  2. E assim molhadinha até ficou mais sexy, que é uma coisa que, sobretudo por aqueles lados, nenhuma mulher deixa ao acaso...

    ResponderEliminar
  3. Putin teve melhor previsão meteorógica...

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças. Não diga aos outros o que não gostaria que lhe dissessem. Faça comentários construtivos e merecedores de publicação. E não se esconda atrás do anonimato. Obrigado.