quarta-feira, 25 de julho de 2018

O OE não é para todos os portugueses

O ministro das Finanças, Mário Centeno é numa versão português suave, da sua antecessora malquista, Maria Luís Albuquerque. Dizer que o OE é para todos os portugueses - é uma falácia. Disse que para o SNS houve mais 700 milhões de euros. As cativações e a estatística desmente-o, ainda assim, destes, centenas de milhões de euros foram transferidos do orçamento da saúde pública para a saúde privada. O PS defende o SNS ou quer entregá-lo de mão beijada

à ganância lucrativa dos privados? Defina-se. Em recente entrevista, ao PÙBLICO, Centeno
nem uma palavra para a Cultura nem para com os Assistentes Operacionais do SNS - os Operários da saúde do Estado. Está a tomar a lógica de Gasparóika, o de muito má memória,
em relação à Função Pública fustigada durante a crise (dos bancos…).
Com o crescimento económico, não tem, nem uma tentativa de diálogo, com os trabalhadores que servem o Estado, há 10 anos sem aumento de salário. É um tique autoritário.
O presidente do Eurogrupo, Mário Centeno dá ordem ao ministro das Finanças, Centeno para não abrir os cordões à bolsa. Isto é surreal e inaceitável. 
   Centeno ou sem tino?!



                                               Vítor Colaço Santos​

1 comentário:

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças. Não diga aos outros o que não gostaria que lhe dissessem. Faça comentários construtivos e merecedores de publicação. E não se esconda atrás do anonimato. Obrigado.