domingo, 8 de julho de 2018

O Amigo Americano


Desde o fim da Segunda Guerra Mundial, que os EUA se arvoraram como polícia do Mundo. Claro que os seus intuitos não foram sempre desinteressados. As suas bases militares colocadas em locais estratégicos, não só os ajudaram a vigiar inimigos, como a proteger os seus interesses económicos nos países aliados. Ora essa ajuda do amigo Americano teve e continua a ter elevadíssimos custos na NATO, práticamente financiada pelos EUA. Na campanha eleitoral que o elegeu, o agora presidente daquela nação, avisou toda a gente que essa situação era insustentável, e que se os aliados não contribuíssem aquilo que se comprometeram (2% do valor dos respectivos PIBs), os EUA tirariam as devidas consequências, designadamente nas suas forças militares. Parece que já seguiram cartas para todos os aliados da NATO, a avisar formalmente desta intenção do amigo Americano. Curioso será saber da reacção das chamadas forças progressistas que desde sempre reclamaram a retirada das “forças imperialistas” dos países da NATO. Agora que o seu tão odiado Trump, lhes parece querer fazer a vontade…

7 comentários:

  1. Embora não possa saber a quem se refere quando fala das "chamadas forças progressistas" (embora possa imaginar a quem se refere, vindo de si), suponho que não se incomodarão muito. Será uma "boa acção" do "lado bom" de Trump. Europa e Nato a "implodirem" em simultâneo... que "festa do caraças"!...Qual é sua dúvida ou curiosidade? Não entendo.

    ResponderEliminar
  2. Senhor Rodrigues, se não entendeu à primeira e considerando a desagradável experiência dos nossos passados “diálogos”, não vale a pena prosseguirmos. Ignore-me, que eu farei o mesmo consigo... Boa Noite

    ResponderEliminar
  3. Magíster dixit, Sr. Dr. Manuel Martins?

    ResponderEliminar
  4. Duas coisas. A primeira para dizer ao sr. dr. Manuel Martins, que assina como Manuel Alentejano, que não cumprirei ( como, aliás, já lho disse uma vez) o que deseja/quer e, sempre que os entenda por merecedores, comentarei os seus textos ou ripostarei aos seus comentários ( a não ser que sejam colocados aqui no blogue com anos de atraso e eu não dê por eles...). A segunda é para dar uma gargalhada! É que quando eu comentei, supuz que poderia levar "tareia" à minha "esquerda" e afinal foi o senhor doutor que (talvez por "parti pris"), não entendendo que eu até lhe estava a dar "razão", me rejeita.! Eu não o entendi "à primeira", não o entendo "à segunda" e o senhor, pelos vistos, nem "à terceira" entenderá...

    ResponderEliminar
  5. Talvez, porque com certeza sou estúpido e o Sr é inteligente. Agora concorda, certo?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como lhe disse, já tinha "concordado" consigo no meu primeiro comentário.

      Eliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças. Não diga aos outros o que não gostaria que lhe dissessem. Faça comentários construtivos e merecedores de publicação. E não se esconda atrás do anonimato. Obrigado.