sábado, 11 de março de 2017


EXPRESSO 11.MARÇO. 2017




Estamos a consumir demasiado e a crédito

Voltámos a um certo consumo excessivo e em simultâneo a fazê-lo a crédito.

Ou seja, estamos a ir pedir emprestado dinheiro, que teremos que mais tarde que pagar, para comprar automóveis novinhos em folha, vejam-se os que circulam por todo o lado nas nossas ruas, para fazer viagens, vejam-se como estão esgotados tantos destinos paradisíacos e não só, na Páscoa próxima. E, por vezes em situações, ao que parece, que não são assim tão essenciais, e que nos comprometem o futuro.

Muito do que consumimos e a crédito é importado, dado que não “fazemos” um único automóvel. E, se quisermos ver com olhos de ver, todos os dias mais e mais novos circulam com datas do mês em curso. Dinheiro que sai, dinheiro que não é nosso, e, que o vamos ter que pedir emprestado à banca. E não é dinheiro para investimentos produtivos ou poupanças futuras!

Claro que, o Governo anterior teve um “prazer” em nos amesquinhar, em nos fazer pobretes e nem alegretes, em cortar para além do que os nossos credores externos exigiam, vulgo “troika”, e ainda para agravar deixou “situações” descontroladas, que hoje estão a ter que ser resolvidas como offshores e não só. (….)

A Küttner de Magalhaes


Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.