quinta-feira, 9 de março de 2017

Sinto-me vigiado!

Já me sinto há muito mas a "ferida" foi reaberta pela notícia de que o Wikileaks denunciou que a CIA nos vigia "à tripa forra", a TODOS e por várias maneiras! Era tristemente previsível pois sabendo nós o que "vale" a mente humana, mais a mais "prolongada", numa extensão de nós, por variados aparelhos que nos mantêm ligados  a tudo, a todos e todo o tempo, através dos nossos sentidos. Hoje quase não vemos um ser humano que não tenha um telemóvel na mão, "falando sózinho" na rua, e sem despregar os olhos do televisor em casa. E estes são os mais simples, depois vêm toda a variedade de i-pod, i-pad, e tutti quanti.
Mas querem saber qual e o que que mais me perturbou? A televisão! A notícia em causa vinha dela! Era ela que me informava do mal que me estava a fazer em simultâneo! E ( a notícia também o dizia) vigia-me .... até apagada! Pior ainda, segundo rezava, a marca comercial mais ligada  a esta devassa era a Samsung. Adivinhem o que li na base da minha "caixa mágica"?...
Assustador! Convivo com o que me informa, vigia, condiciona, diverte, ou seja, faz tudo... para poder tudo fazer de mim! E de vós... Sempre disse que quem pensasse que fechava a porta de casa e se "escondia" num ambiente "asséptico" estava enganado, mas chegar ao ponto de olhar para o meu "caixote" apagado e imaginá-lo com um olho cínico lá dentro ( em Frankfurt, parece) é de fugir logo! Mas... para onde? Na rua estão câmaras de vigilância e, obviamente, o telemóvel está lá, "quentinho" no bolso da calças...
Depois, tenho a "ilusão" que, se ler, "sei", mas que me adianta? A "Psicopolítica" instalou~se, deu-nos a sensação de liberdade e quanto mais a usamos, "mais nos entalamos". É o Big Data, bem pior que o Big Brother. Já não é a vigilância/castigo da "Biopolítica" mas o "fala que te estendes" sobre que disserta Byung-Chul Han no seu espantoso pequeno livro.
Bom, vou carregar no botão "Publicar".... olho para o lado... mas o dedo já se move por si... até nisso já mexeram na minha mente... cedo e... lá vai! Cuidado que quem me ler também fica marcado, basta ler...

Fernando Cardoso Rodrigues

6 comentários:

  1. Sinais dos tempos em que a palavra nada vale. É preciso saber todos os contornos das relações sociais. Por isso a imagem é um bom elemento para cimentar os factos. Este caminho da falta de respeito pela individualidade, ou seja, pelo cidadão, está implantado, porque o pequeno mundo do Orwell começa a germinar. Esta civilização, pelo muito que se quer modernizar nas técnicas robotizadas, está a tirar o lugar ao homem e a despersonalizá-lo. Como não é possível inverter este "fado", mesmo muito a contragosto, para sobreviver, o lema tem de ser "Em Roma sei romano".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Big Brother já lá vai, caro Joaquim! O "1984" já foi! Agora "entraram-nos na mente" não só para nos vigiar mas para nos dar lastro, nós consentimos e... até gostámos! Repare que não me ponho de fora (seria petulãncia!) e por isso digo "nós. "Consentiram-nos" a liberdade e assim somos nós que traçamos o nosso próprio perfil que é, provavelmente o que estou a fazer neste preciso momento, ou seja "estou a ser romano em Roma" (lema de que não gosto em nenhuma circunstância).... "Eles" utilizá-lo-ão ou não consoante necessitem... Basta olhar para o nosso ecrã...
      Para não ser niilista, digo que continuo muito Kantiano e... "vou remando", com lucidez, empenho e tentativa de autonomia...

      Eliminar
    2. Ainda que concorde com muitos dos seus argumentos e, felizmente não todos, pela sua complexidade, entendo que o "1984" e o Big Brother estão cada vez mais activos, segundo nos transmite mais uns milhares de documentos revelados pelo Wikileaks. Continuo a ser cartesiano, porque me revejo permanentemente na dúvida sistemática.Com que carga de água eu havia de ser o ser predestinado a ter sempre razão?

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Gosto sempre da opinião da "Girafa". Mesmo, como é seu timbre, seja seca e incisiva. "Brigado" Céu!

      Eliminar
  3. E "brigado eu" também, pois nem sempre comento, apesar de estar na mesma 'onda'.

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.