sábado, 11 de março de 2017

A 11 de Março de 1993, morre o escritor Manuel da Fonseca

Resultado de imagem para MAnuel da fonseca



A 11 de Março de 1993, morre o escritor neo-realista, poeta, contista, romancista e Cronista português Manuel Lopes da Fonseca, mais conhecido como Manuel da Fonseca. Natural de Santiago do Cacém, descreveu a vida dura dos alentejanos em obras como Planície (1941), Cerromaior (1943) e Seara do Vento (1958)
Nasceu a 15 de Outubro de 1911, em Santiago do Cacém
Jornais e revistas onde colaborou:
Afinidades; Altitude; Árvore; Vértice; O Diabo; O Diário; Pensamento; Sol  Nascente; Seara Nova e A Capital.
Obras – Poesia:
Rosa dos ventos -1940 – Edição do autor
Planície – 1941
Poemas dispersos- 1958
Poemas completos – 1958
Obra poética
O Largo
Contos:
Aldeia Nova – 1942
O Retrato - 1953
O Fogo e as cruzes – 1953 – Edição Três Abelhas (a sua mais importante obra)
Um anjo no trapézio – 1968
Tempo da solidão – 1973
Tempo de solidão – Edição especial dos Estúdios Cor (edição limitada e oferecida pela editora no Natal de 1973)
Mestre Friezas
A Torre da Má Hora
Mataram a Tuna!
A Testemunha
Romance:
Cerromaior (a) – 1943 - Editorial inquérito
Seara de Vento – 1958
Crónicas:
Crónicas algarvias – 1986
À lareira, nos fundos da casa onde o Retorta tem o café
O Vagabundo na cidade
Pessoas na paisagem

(a)-A obra Cerromaior, deu lugar a um filme português, uma longa-metragem de ficção de Luís Filipe Rocha, adaptação cinematográfica do primeiro romance de Manuel da Fonseca.

1 comentário:

  1. E, lembro-me bem, foi Cerromaior (o filme) que me "matou a saudade" aquando duma permanência prolongada fora de Portugal em 1982, na então Alemanha Federal.

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.