quarta-feira, 15 de junho de 2016

A Segurança Social não é de nenhum Governo


O dinheiro da Segurança Social (SS) é, sobretudo, fruto dos descontos feitos, durante décadas, por quem trabalha(ou) e por quem criou empregos e essencialmente servirá: I)A quem sofre de incapacidade física ou mental. II)Subsidiar a quem está desempregado. III) Pagar reformas. Em suma, estas volumosas cifras não são de nenhum Governo de ocasião, mas sim!, de todos aqueles que descontam ou descontaram. 
O Estado é só fiel depositário. Há semanas, este executivo deliberou o uso de 10% dos Fundos da SS, num programa intensivo de construção civil, destinado a lançar no mercado de arrendamento  milhares de casas, na expectativa de ganhar dinheiro com essas rendas...
No anterior desgoverno, Vítor Gaspar acionou uma medida gravosa e descapitalizadora da SS, obrigando o seu Fundo de Reserva a comprar dívida pública nacional – até €4,5 mil milhões! Esta volumosa soma daria para pagar reformas e prestações sociais em caso do sistema colapsar.  Os trabalhadores não deram carta branca a nenhum governante para usarem verbas do Fundo de Estabilização da SS. Esta reserva de dinheiro é pertença de quem trabalha, só para ser usado pelos seus legítimos usufruidores – os trabalhadores!

                                                                 artigo de opinião de Vítor Colaço Santos

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.