domingo, 12 de junho de 2016

O CONTROLE CAPITALISTA

Na sociedade tecnológica a linguagem da política tende a tornar-se a linguagem da publicidade. Segundo Herbert Marcuse, "o exercício da dominação foi integrado nas actividades e no repouso quotidiano dos cidadãos e os "símbolos" da política são também os do dinheiro, do comércio e da diversão".
O controle capitalista está por todo o lado. Estas pessoas que aparentemente vêm de livre vontade à confeitaria na verdade estão acorrentadas, estão cheias de medo do papão. Até os lazeres estão condicionados. Poucos conseguem ser livres. Imagens cercam-nos por todos os lados. As pessoas trocaram a liberdade e a afirmação política pelo conforto e pela segurança. Mesmo os seus raciocínios são condicionados ou por preconceitos ou pela lavagem dos media, da família, da escola, do trabalho. São levadas a pensar que este é o único mundo possível. Urge criar um movimento alternativo. De pessoas que estejam preocupadas com estas questões e com o aquecimento global. Urge criar um movimento alternativo aos partidos, que diga claramente que esta sociedade é hedionda, não presta, despreza a vida. É preciso afirmar a Vida, a liberdade, a criação, o amor, a iluminação, a sabedoria. É preciso que nós, os conscientes, nos juntemos. Isto já foi longe demais. É odioso. Não sei como é que as pessoas não se apercebem. Preferem continuar a fingir, a cumprir as horas, a dar umas risadinhas. Preferem continuar a fingir que vivem.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.